Você sabe, qual é O SEGREDO?



Algumas pessoas que considerava “inteligentes” e outras nem tanto, me recomendaram “o filme do momento”, levando em conta o entusiasmo e o brilho no olhar que provocava o simples fato de mencionar o título “THE SECRET”, eu cedi, assisti e sobrevivi.
Nas próximas linhas, convido você a participar da opinião de um sobrevivente (no caso eu) embora com alguns efeitos colaterais, pois é quase impossível controlar a queima de neurônios. Mas ainda consigo levar uma colher de sopa à boca sem derramar!
Vou preferir usar a tradução “O SEGREDO”, pois devido a nossa cultura colonialista, tendemos a valorizar títulos estrangeiros, então LET`S SEE.
O título é perfeito, nada desperta mais nossos instintos, que deslumbrar a possibilidade de conhecer algo reservado a poucos, pois nos sentimos valorizados e poderosos. Aquilo que realizaremos com essa informação depende da competência de cada um. Assim o filme inicia atribuindo a personagens notáveis e competentes em suas áreas, o conhecimento do tal segredo como se fosse sagrado, infelizmente nenhum dos mencionados pode confirmar o fato da existência de tal segredo, pelo simples fato de serem todos falecidos.
A idéia central é antiga, mas foi restaurada, reformada e renomeado “LEI DA ATRAÇÃO” onde o centro imantador é você e tudo aquilo que escolher será atraído, sem esforço, basta desejar que o poder se manifesta. Veja a centralização do poder e o jogo de palavras “LEI, ATRAÇÃO, DESEJO, PODER”, palavras como “ESFORÇO, TRABALHO, DEDICAÇÃO, ESTUDO, COMPROMETIMENTO, RESPONSABILIDADE etc”, não aparecem, a não ser direcionado ao objeto de desejo, nunca ao aprimoramento da vida humana, mas ancorando a felicidade ao ter nunca ao ser. Imagine uma criança dizendo a outra “eu tenho você não tem”, este comportamento infantil se explica, mas tente imaginar um adulto com tal comportamento (que baixa auto-estima, coitado). Digo que a idéia é antiga, pois já teve outros nomes, “FORÇA DA MENTE, PENSAMENTO POSSITIVO, PROJEÇÃO DE FUTURO etc” e todas essas nomenclaturas tiveram adeptos.
Mas o pior ainda estava por vir. Para dar sustentabilidade a idéia foi introduzida a figura de um deus, com uma alusão ao conto de Aladim, basta esfregar a lâmpada que o gênio aparece, só que este deus em questão não se limita a três desejos, os desejos são infinitos, pois ele nunca diz não, pelo contrário sempre responde “SEU DESEJO É UMA ORDEM” basta pedir, ninguém interfere ou crítica, caso você deseje algo que irá se arrepender é só pedir para desfazer o pedido, sem compromisso ou responsabilidade.
Um deus que se deixa aprisionar e manipular, sem o direito de um deus, apenas criado para satisfazer desejos que aparece apenas quando solicitado.
E ainda para adaptar ao dia a dia um homem diz que, sempre encontra vaga para estacionar, que é um dos problemas mais comuns a todos nós, mas para este homem basta pensar que sua vaga estará lá e sempre está onde ele quer.
Partindo deste caso elementar podemos considerar que todo aquele que está preocupado em estacionar, sairá de casa com tempo adequado e terá a possibilidade de encontrar vaga com maior facilidade ou encontrará desculpas e respostas para não perder o reconhecimento dos outros, que ele considera importante.
Sei que este tipo de artigo, não raramente tem efeito contrário, mas caso você se sinta instigado a assistir o filme (espero que não, tente resistir) espero ter contribuído de alguma forma a evitar  danos maiores. Mas caso já tenha assistido, você pode concordar ou discordar de mim, mas agradeço o fato de ainda conseguir ler este artigo.
Mas como de tudo podemos tirar boas lições, podemos concluir que não há segredo, pois Ele está disponível a todos, não realiza nossos desejos, mas, nos possibilita uma vida plena suprindo nossas necessidades, nos conduz a uma vida de doação ao próximo, não precisa de nós, mas se faz precisar para nos guiar e santificar. É este Deus que não infantiliza, mas te carrega no colo e você sem medo pode confiar, se abandonar no seu amor, é esse Deus que te valoriza pelo que você é.
A dependência de Deus é a certeza da felicidade, mas lembremos que:

“SÓ TEMOS DIREITO DE PEDIR O IMPOSSÍVEL, QUANDO JÁ FIZEMOS TUDO O QUE ERA POSSÍVEL”

Prof Cláudio Ramirez. 
dezembro de 07